Carlos Gaby: A traição de Roberto Rocha

Levado nas costas pelo então candidato Flávio Dino [(E) ao lado de Roberto Rocha, Foto: Blog do Gilberto Leda], que subia aos céus na pesquisa, por pouco Roberto Rocha, nome do PSB no pleito para o Senado, não perdia a eleição. A lua de mel durou quase nada. Pouco tempo de mandato e Rocha rompeu com os comunistas, levado pela obsessão de ocupar o Palácio dos Leões.

Sua tática reflete sua personalidade e sua conturbada carreira política. É filho da velha política dos coronéis maranhenses. O pai, Luiz Rocha, aliado de Sarney, foi governador do Estado e coronel de Balsas. Quem não se lembra da renúncia do hoje nobre senador quando era candidato ao governo pelo PSDB, em 2001? Sua decisão desmoralizou o partido e a si mesmo, prejudicou Jackson Lago e abriu caminho para a vitória de Zé Reinaldo, hoje deputado federal e companheiro de partido, à época aliado dos Sarney.

Agora, com o mandato assegurado de oito anos, Roberto Rocha lança pedras no governador. Com o grupo Sarney enfraquacido, quer atrair o PMDB, o PSDB e parte dos socialistas, numa coalizão conservadora, que ele imagina de centro-esquerda. Ele imagina.


A última do senador foi tentar constranger Humberto Coutinho, presidente da Assembleia Legislativa. Para isso, tentou levá-lo a uma reunião com prefeitos, que sua assessoria divulgou que seria na própria sala da Presidência da Assembleia. Coutinho, amigo e aliado do governador, divulgou nota desmentindo o local da reunião (foi disponibilizada uma sala do Complexo de Comunicação) e dizendo que não participaria da reunião.

Assim, o jovem senhor de Balsas caminha. Tem se movimentado e cooptado lideranças menores, de partidos nanicos, mas gente que ajuda na claque e no barulho. As chances de vicejar o projeto, porém, são diminutas. O próprio Zé Reinaldo declarou no final do ano passado que a reeleição de Flávio Dino deverá ser tranquila.

Na mira
Novamente o nome da ex-governadora Roseana Sarney aparece ligado às investigações da operação Lava Jato. Na primeira vez, acusada de receber propina do doleiro Alberto Youssef, foi absolvida. Nesta agora, a situação é mais complicada.

Segundo Veja.com, as delações de executivo da Odebrecht atingem a ex-governadora, que sonha em retornar ao governo do Maranhão.

Contras
Integrantes locais do Fórum de Defesa da Previdência marcam para esta quarta, 15, mobilização contra o projeto de reforma da Previdência Social proposto pelo governo Temer.

Reunião preparatória nesta segunda, 13, na sede do Sindicato dos Bancários.

Não à terceirização
Em entrevista coletiva realizada nesta segunda-feira, 13, no auditório do Tribunal de Contas do Estado (TCE), instituições que integram a Rede de Controle da Gestão Pública manifestaram apoio às decisões da corte estadual de contas que determinou que as prefeituras maranhenses suspendessem pagamentos decorrentes de contratos de prestação de serviços advocatícios, firmados com o objetivo de receber diferenças do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef).

A decisão do TCE-MA prevê também a obrigação de os municípios procederem à anulação de tais contratos e que a demanda judicial seja assumida pelas Procuradorias Municipais.


Clique na imagem e veja edição em PDF

 
Usamos cookies para acelerar a navegação em nossas páginas. Clique na caixa ao lado.