EUA diziam que Sadam tinha armas químicas, lembram?

Assad afirma que ataque químico foi "100% fabricado"

Em entrevista divulgada hoje (13) pela agência France Presse, o presidente sírio Bashar al-Assad afirmou que o ataque químico atribuído ao seu governo foi “100% fabricado”.

Assad também disse que a o ataque em Khan Cheikhoun teria sido fabricado para servir como pretexto ao bombardeio americano contra uma base aérea na Síria.

"Para nós, trata-se de um evento 100% fabricado" disse Assad. "Nossa impressão é que o Ocidente, principalmente os Estados Unidos, é aliado dos terroristas. Eles fabricaram essa história para servir de pretexto para o ataque."

O presidente da Síria disse várias vezes que suas forças militares deixaram de usar armas químicas em 2013, e também acrescentou que o poder militar de seu país não foi afetado pelo ataque dos EUA.

Donald Trump e outros líderes ocidentais afirmam que o regime sírio está por trás da utilização de armas químicas contras civis, que teriam sido lançadas a partir de aviões militares. O ataque matou 87 pessoas, e entre as vítimas estavam diversas crianças.

Desde então, o regime de Assad tem negado o uso de armas químicas, e seu principal aliado, a Rússia, afirmou que um bombardeio convencional atingiu um depósito de substâncias tóxicas dos rebeldes.

Assad chegou a questionar se o ataque realmente ocorreu: “não sabemos se aquelas crianças morreram em Khan Cheikhoun. Será que morreram mesmo?".

De acordo com uma delegação britânica do órgão de fiscalização de armas químicas da Organização das Nações Unidas, exames em amostras retiradas do local confirmaram a presença do gás sarin.

Jornal GGN e AFP

 
Usamos cookies para acelerar a navegação em nossas páginas. Clique na caixa ao lado.