Governador recebe campeões do Desafio Empreendedor

Os quatro universitários maranhenses que conquistaram o primeiro lugar nacional do Desafio Universitário Empreendedor apresentaram ao governador Flávio Dino, na tarde desta sexta-feira, 28, no Palácio dos Leões, a ideia da startup que elaboraram para o jogo e que foi decisiva para levarem a melhor na final nacional da competição que reuniu os finalistas estaduais de todo o Brasil. A startup dos maranhenses é um aplicativo para quem segue dietas restritivas como os intolerantes ou alérgicos a leite, glúten e outras substâncias.

Os alunos foram acompanhados pelo staff do Sebrae no Maranhão – presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae no Maranhão, Edilson Baldez das Neves; o diretor superintendente, João Martins; a diretora de Administração e Finanças, Rachel Jordão; a gerente de Soluções e Interlocuções, Giovanna Figueiredo; Raíssa Amaral e Luciani Dória, da equipe de Educação Empreendedora e Marina Lavareda, analista técnica facilitadora do jogo na etapa estadual.

Usado pelos empreendedores para “vender” o projeto da startup para potenciais investidores-anjo, o pitch é uma apresentação rápida sobre a ideia de negócio e traz dados como estimativas do mercado e potencial de crescimento, estratégia para crescer com baixo custo, projeção do negócio até cinco anos, dentre outros.

Segundo a Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI), 350 mil crianças brasileiras possuem alergia à proteína do leite de vaca, sendo que 6% a 8% apresenta alergias alimentares e, entre os adultos, o percentual é de 2% a 3%.

“Aliado a esse dado, pesquisas apontam que 76% dos brasileiros afirmaram buscar uma alimentação saudável. Isso nos diz muito, porque dá a amplitude do nosso mercado e o que podemos ainda diversificar para que produto possa ser útil a mais pessoas”, apontou a universitária Emilly Martins, do curso de Administração da Universidade Federal do Maranhão (Ufma), acompanhada pelos demais integrantes da equipe – Mayane Conceição (Ciências Contábeis/Ufma), Betiane de Jesus Silva (Adminsitração/Ufma) e João Pedro de Oliveira (Administração/Uema-Timon).

O governador Flávio Dino parabenizou a equipe vencedora pela ideia do negócio. “O aplicativo, da maneira como vocês o idealizaram, ajudaria muito pessoas que, como eu, sofrem com alguma restrição alimentar. É muito louvável o papel do Sebrae em fomentar o empreendedorismo junto aos universitários, despertando o potencial e as habilidades empreendedoras para que ideias como a de vocês possam sair do papel e ter sustentabilidade”, disse.

O presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae no Maranhão, Edilson Baldez das Neves, reforçou a eficácia da disseminação da cultura empreendedora no estado, um trabalho que o Sebrae no Maranhão tem desempenhado com bastante êxito. “Em relação ao Desafio Universitário Empreendedor destaco a parceria que temos com as Instituições de Ensino Superior do estado e o trabalho bem mais efetivo da nossa área de Educação Empreendedora que este ano inovou e fez uso da mentoria para ajudar a equipe do Maranhão a vencer a competição nacional”, sinalizou o presidente do CDE, Edilson Baldez das Neves.

Educação Empreendedora

O Desafio Universitário Empreendedor faz parte das atividades do Programa Nacional de Educação Empreendedora (PNEE), concebido e desenvolvido pelo Sebrae com o objetivo de levar o empreendedorismo às instituições de ensino em todos os níveis de educação, como uma estratégia de criar um ambiente propício para o desenvolvimento de micro e pequenos negócios.

“Estamos ajudando estes alunos a entender o universo dos negócios com jogos empresariais e vivências para que eles possam ter mais desenvoltura quando precisarem desenvolver negócios”, afirmou diretor superintendente do Sebrae no Maranhão, João Martins, informando que o Sebrae vai continuar a acompanhar estes estudantes para ajudá-los a desenvolver o projeto do aplicativo e transformá-lo em um negócio de fato.

Para o ciclo 2016, o Desafio Universitário Empreendedor reuniu mais de 26 mil estudantes universitários e 502 professores de todo país. No Maranhão, foram 316 estudantes universitários de 25 instituições de nível superior, que participaram de jogos de negócios para desenvolver habilidades empreendedoras e corporativas, o que os deixou mais preparados para os desafios do jogo.

Samme Ribeiro

A Semana

 
Usamos cookies para acelerar a navegação em nossas páginas. Clique na caixa ao lado.