Tucanos escapam dos leões e se afastam da pomba

Um tucano de alta patente no governo do Estado, filho de uma raposa da baixada maranhense, contou-me hoje de manhã que o Palácio dos Leões tem como favas contadas a saída do PSDB da base aliada na eleição estadual do próximo ano.

Vai a legenda, mas os governistas ficam. Nos bastidores, tucanos articulam onde desembarcariam numa nova legenda ou se continuariam no PSDB como uma dissidência.

Outra fonte garante que a candidatura do ex-prefeito de Imperatriz, Madeira (PSDB), ao governo do estado estaria nas mãos de Sarney. Ele também poderia ser candidato ao senado na chapa de sua filha, Roseana.

Quem ficou isolado foi o senador Roberto Rocha, do PSB. Apostou suas fichas que teria os tucanos em seu palanque para sua pretensão de governador o Maranhão. A pomba saiu do governo Temer e, nacionalmente, pode voltar a se aliar com a Rede de Marina Silva.

O governador Flávio Dino leva a sério a tese leninista de ampliar radicalizando e radicalizar ampliando. Quando não é a sua eleição, como foi o caso das disputas municipais, é hora de radicalizar. Porém, quando é a sua eleição, a hora é de ampliação. Em Imperatriz, por exemplo, estabeleceu uma ótima interlocução com o prefeito Assis Ramos (PMDB) e com o presidente da Câmara local, Zé Carlos (PV).

Frederico Luiz

 
Usamos cookies para acelerar a navegação em nossas páginas. Clique na caixa ao lado.