Carlos Brandão: Maranhão na Rota dos Investidores

Esta semana tive a oportunidade de, mais uma vez, representar o Maranhão em um evento importante para a captação de investimentos para o estado. Apresentamos nossas potencialidades durante o Fórum de Investimentos Brasil 2017, que aconteceu em São Paulo e reuniu inúmeros investidores brasileiros e de mais 40 países. Um grande momento em que ficou claro a todos que a crise política pela qual o país passa, não afasta o interesse de conglomerados mundiais pela possibilidade de negócios em nossas terras.

Acompanhado dos secretários Simplício Araújo (Indústria e Comércio) e Pierre Januário (Projetos Especiais) e pelo presidente da Emap, Ted Lago, pude observar que o interesse pelo Brasil continua em alta. E nesse contexto em que investidores internacionais se voltam a países emergentes com grandes espaços e economia estável, fizemos muitos contatos que nos criam a expectativa de que, em breve, faremos boas parcerias para o Maranhão. Nosso stand foi bastante visitado e o porto do Itaqui, em especial, chamou muita atenção pela localização, por seu calado, por sua estrutura e pela administração moderna e eficiente implantada em nosso governo.

Por ter um sistema financeiro forte, um enorme mercado interno, recursos naturais, um agronegócio organizado a ser explorado e grande potencial industrial, o Brasil é considerado um destino seguro para investimentos. Tanto que hoje é o sexto maior destino de Investimento Estrangeiro Direto (IED) do mundo. O IED, pode ser visto como a movimentação de capitais internacionais para propósitos específicos de investimento.

Uma prova disso foi a assinatura do fundo Brasil-China, que aconteceu durante o Fórum. Este fundo, criado para financiar obras de infraestrutura, vai fazer circular U$ 20 bilhões de dólares no país, sendo que U$ 15 bilhões serão disponibilizados pela China. O objetivo é o financiamento de projetos considerados de comum interesse para os dois países. O que é muito bem-vindo, já que os países desenvolvidos possuem portos e aeroportos modernos, enquanto países como o Brasil ainda precisam modernizar suas estruturas. O fundo deve começar a operar já a partir deste mês de junho. E o Maranhão está inserido no processo através dos vários contatos feitos. O certo é que, com nossas potencialidades, nossas riquezas naturais e nossa gestão equilibrada, estamos definitivamente na rota dos investidores.

Carlos Brandão, Vice-Governador do Maranhão

Nota da Redação: Publicado por O Imparcial na edição de 4 de junho de 2017.


 
Usamos cookies para acelerar a navegação em nossas páginas. Clique na caixa ao lado.