Na Alemanha, merenda de SLZ é testada e aprovada

Prefeitura avalia qualidade de alimentos que compõem cardápio da merenda escolar

A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), realizou teste de degustação e avaliação sensorial de alimentos da agricultura familiar, nesta segunda-feira (19), no auditório da Unidade de Educação Básica (U.E.B.) Luís Viana, no bairro Alemanha. A iniciativa analisou a qualidade dos itens que serão servidos no cardápio escolar das unidades de ensino municipais da rede e escolas comunitárias conveniadas.

Para fazer o teste estiveram presentes representantes da equipe da Superintendência do Apoio ao Educando da Semed, representantes do Conselho Municipal de Alimentação Escolar (Comai), Conselho Municipal de Segurança Alimentar e membros das escolas comunitárias.

"O acesso à alimentação escolar de boa qualidade é um direito constitucional e uma das prioridades da Prefeitura de São Luís. Ao garantir a quantidade e qualidade correta de produtos, possibilitamos o desenvolvimento integral e saudável, potencializando também o aprendizado. Além de oferecer alimentos de boa qualidade na merenda escolar fortalecemos a agricultura local", destacou o secretário municipal de Educação, Moacir Feitosa.

Secretário de Educação, Moacir Feitosa (C). Fotos: Fabrício Cunha

Os itens degustados foram variados, entre frutas, legumes e verduras: abóbora, banana, cheiro verde, cebolinha, couve, feijão verde, mamão, macaxeira, maxixe, melancia, melão, milho verde, quiabo, vinagreira, polpa de fruta abacaxi e goiaba. Os degustadores avaliaram os produtos de acordo com a qualidade, textura, odor, aspecto, rendimento e sabor. Uma ficha foi preenchida para informar ao final de cada grupo de degustação de alimentos aprovação ou reprovação dos itens.

Normas

A representante do Conselho Municipal de Alimentação Escolar, Nathália Karoline Sousa dos Santos, destacou que a degustação está dentro das normas do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) que contribui na qualidade da merenda escolar. "Estamos atribuindo os critérios explicados pelas nutricionistas da rede nos produtos oferecidos, e até o momento está tudo muito bom. A abóbora, por exemplo, um dos itens da minha avaliação, considerei a aparência e consistência, além do odor que estava dentro do esperado", destacou.

Articuladora do Fórum das Escolas Comunitárias, Telma Marques Arouche, ressaltou a organização e oportunidade de todos os representantes, coletivamente, contribuírem para a escolha do cardápio. "Boa iniciativa de fazer com que todos, em um único objetivo, tragam benefícios para os estudantes das escolas públicas. A avaliação também ajuda no diálogo com os fornecedores. Assim, avaliamos os alimentos e conhecemos os agricultores", disse.

Estão participando do processo e foram habilitados de acordo com os critérios das amostras para avaliação: Grupo Terra do Rumo, Associação de Agricultores Rurais e Cidadania da Terra do Rumo, Associação Cinturão Verde Vila Sarney Filho, Associação Agricultores Matões Matinha, Instituto Educacional Beneficente Alto da Vitória, Cooperativa de Trabalho em Agricultura Familiar e Agronegócio dos Produtores de Arraial, Cooperativa de Agricultores Familiares do Cinturão Verde, Associação Comunitária Quilombola Oiteiro, União dos Moradores Forca do Povo do Povoado de Arraial e ABEPCMBCA.

Oportunidade

De acordo com a cooperada da Cooperativa de Agricultores Familiares do Cinturão Verde, Ilsa Ribeiro, a oportunidade de contribuir com o fornecimento para as escolas vai ajudar no escoamento da produção, com consequente aumento de renda. "Saber que os alimentos vão sair da nossa própria cidade e dos agricultores locais já é uma valorização para nosso trabalho", comemorou.
Cleomar Matos, presidente da Cooperativa de Trabalho em Agricultura Familiar e Agronegócio dos Produtores de Arraial disse que o prefeito Edivaldo teve sensibilidade aos agricultores da terra. "Essa oportunidade única incentiva cada vez mais o nosso trabalho. Estamos motivados em fazer essa parceria", completou.

Alimentação Escolar
Os recursos para a alimentação escolar são do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae). De iniciativa do Governo Federal e executado em parceria com estados e municípios, o programa foi implantado em São Luís na gestão do prefeito Edivaldo.
O Pnae estabelece que o cardápio da alimentação escolar deve ser programado de modo a suprir, no mínimo, 30% das necessidades nutricionais diárias dos estudantes. A elaboração do cardápio deve ser feita para promover alimentação saudável, respeitando-se os hábitos alimentares de cada localidade, sua vocação agrícola e preferência por produtos básicos, dando prioridade, dentre esses, aos semi-elaborados e aos "in natura".

Agência São Luís de Notícias

 
Usamos cookies para acelerar a navegação em nossas páginas. Clique na caixa ao lado.